30
jun

Gestão de pessoas: o novo modelo de RH

Antigamente, era muito comum o trabalhador ser visto apenas como uma mão de obra capaz de suprir os objetivos da empresa. Praticamente não se falava em gestão de pessoas, mas sim de um departamento pessoal em que se administrava questões trabalhistas do colaborador. Nem preciso dizer que isso mudou, não é mesmo? Mudou a postura do profissional de recursos humanos, tanto na forma de trabalhar, como agir e pensar.

Com o passar dos anos e, cada vez mais, as empresas têm reconhecido a necessidade de humanizar as relações reconhecendo e valorizando os seus profissionais. Dessa forma é possível melhorar e aperfeiçoar não só o desempenho de cada colaborador, como da empresa de forma geral.

Nenhuma mudança acontece da noite para o dia. Foi necessário um caminho a ser trilhado e uma mudança de mindset. Aos poucos as empresas passaram a investir em capacitação através de treinamentos. Começaram com conteúdos mais técnicos e na sequência entenderam a importância de investir em treinamentos comportamentais tais como motivação, comunicação, trabalho em equipe e liderança, por exemplo.

 

Nessa mesma época, apareceram as consultorias de treinamento que se posicionam como especialistas no suporte a gestão de pessoas nas empresas. Além disso, não podemos esquecer os benefícios tecnológicos que trouxeram para a nossa área. Processos foram atualizados e diversas ferramentas estão à disposição para melhores análises de desempenho. O feedback nunca foi tão importante e necessário assim como as tecnologias.


Tanto eu como outros profissionais e especialistas da área temos percebido o quanto é preciso investir em potencialização de processos para que continuem assertivos e cada vez mais práticos. Nós trabalhamos e nos formamos justamente para isso, melhorar a comunicação entre os colaboradores, ressaltar os valores da empresa e estimular que os colaboradores não só acreditem, como pratiquem e vistam a camisa do local que escolheram trabalhar.

Gosto do que vejo e acredito que estamos no caminho certo. Me atrevo em dizer que o nome da profissão é autoexplicativa: recursos humanos. Precisamos conhecer, investigar, acompanhar recursos que melhorem as relações humanas. Tanto individuais como coletivas. Que possamos estar antenados nos programas e ferramentas que permitem uma maior aproximação dos funcionários com o RH. É tempo de pensar e ser estratégico. É tempo de inovar.

Gecilene de Souza é supervisora administrativa e recursos humanos no Espaço Jacyra