08
jun

Marli Arruda participa de live sobre networking e empreendedorismo no Espaço Jacyra

“Como construir boas redes de relacionamentos?”, “o que é preciso fazer para criar uma rede de contatos no ambiente corporativo?” – são perguntas que não querem calar. Para mostrar os melhores caminhos de se fazer isso, a psicóloga empresarial e coach, Marli Arruda, participou de uma live no Espaço Jacyra, nesta quarta-feira (07/06). A conversa foi conduzida pela jornalista Regine Luise em tom descontraído e clima aconchegante.

Algumas pessoas nós conhecemos por obra do destino. Outras são colocadas em nossas vidas por alguma razão. Tem ainda aquelas que nós conhecemos por interesses genuínos. Quando pessoas de carreiras e profissões similares ou distintas se aproximam, criam laços, compartilham experiências e conciliam afinidades, as redes de relacionamento acontecem.

Mas será que isso exige técnica e treino? Será que precisamos desenvolver habilidades para construir a nossa rede? Parece que sim. No livro “Networking & Empreendedorismo”, Marli Arruda junto com outros co-autores relatam histórias, dicas e estratégias para unir profissionais de forma que todos possam ganhar e se sentir úteis.

No Espaço Jacyra, por exemplo, ocorrem vários eventos. Palestras, treinamentos, reuniões, congressos. Essas atividades são ótimas oportunidades de conhecer novas pessoas. Nos intervalos entre um coffee e outro, abre-se a oportunidade de conversar com alguém que esteja do seu lado. De contar ou ouvir uma história. De criar laços.

Engana-se quem pensa que uma boa rede de networking é algo forçado. Pelo contrário, é preciso fluir de forma natural e tranquila. Se você estiver em um evento, não se preocupe em tentar falar com todo mundo, mas priorize a qualidade dos assuntos. Para a psicóloga Marli Arruda, o segredo do networking é a profundidade. “Tudo começa quando as pessoas têm interesses em comum e disponibilidade. Ter interesse pelas coisas do outro, procurar pontos que demonstram afinidades, isso faz o relacionamento ser melhor e mais duradouro”, explica.

Durante a live Marli faz questão de reforçar em vários momentos que uma rede de relacionamentos precisa se fazer valer nos momentos bons e ruins. Empatia, simpatia, sensibilidade, proatividade, afinidade e confiança. São palavras-chave para quem pensa em começar ou estreitar os contatos. Precisamos lembrar que independentemente de ser um ambiente corporativo, redes são feitas de pessoas. Seres humanos. Por isso, precisam ser cultivadas.

Não importa se o primeiro contato é numa palestra ou em um treinamento, as conversas podem começar com caráter profissional e se mesclar com interesses pessoais. “Quando você constrói uma rede de networking bem embasada, a lembrança e a indicação podem surgir de forma espontânea. Ou seja, o seu cliente vai te indicar automaticamente”, finaliza.