01
jun

Motivação é algo que vem de dentro



Cada vez mais, vejo colegas de várias empresas incentivando a automotivação. Para mim, o motivo disso é muito claro: motivação é coisa que vem de dentro. Quando levamos isso para o ambiente de trabalho, fica ainda mais forte. Nós, profissionais de recursos humanos, podemos nos descabelar ao tentar encontrar as melhores estratégias e táticas para manter os colaboradores motivados. Porém, se eles não estiverem bem internamente, nada disso vai ajudar.

Particularmente posso dizer que existem várias formas de visar o melhor desempenho da nossa equipe. Motivação é um assunto complexo e depende de fatores como boa liderança, clima, recompensas ou reconhecimento, além das necessidades de cada indivíduo na busca de ser feliz tanto na vida como no trabalho. Por isso que eu digo, se a motivação vem de dentro, a nossa felicidade também.

Nem sempre as pessoas conseguem trabalhar com aquilo que gostam, mas isso é um dos principais requisitos para se ter satisfação. Já dizia o filósofo Confúcio: “trabalhe com aquilo que se gosta e não terá que trabalhar um dia sequer na vida”. Há tantos anos nessa área, posso assegurar que sou sortuda por trabalhar naquilo que me considero boa e numa empresa que me identifico com os valores.

Aliás, é disso que eu quero falar agora. Identificação com valores, missões e visões da empresa. Quando comentamos sobre RH estratégico, por exemplo, é fundamental acreditar nos propósitos do lugar que trabalhamos. Se a gente não acreditar ou não concordar, dificilmente vamos levantar a bandeira ou vestir a camisa. Acreditem. Isso faz toda diferença.

Eu acho que a motivação passa pelo autoconhecimento. Se conhecer, se gostar e se respeitar. Estamos tão acostumados em cuidar de nossos corpos que, às vezes, esquecemos de cuidar das nossas mentes. Pior ainda, esquecemos de olhar para o nosso eu interior. É importante nos mantermos conectados com nossos valores e desejos. Com quem somos. Todos nós precisamos ter objetivos definidos e traçar metas e formas de alcançá-los. É preciso acreditar em si mesmo e saber lidar com as dificuldades. Os caminhos nem sempre são fáceis, mas colher os frutos daquilo que plantamos pode ser recompensador.

No fim das contas, não podemos esquecer que um ambiente harmônico com relações saudáveis também são aspectos de grande importância. Passamos cerca de 6,8 horas por dia nesses lugares. Eles precisam ser necessariamente lugares em que a gente possa se sentir bem. Horários flexíveis, clima descontraído, salário compatível com o mercado. Todos esses pontos devem estar equilibrados na balança, mas lembre-se: nada disso pode deixar você motivado, se não estiver bem com você mesmo.

Gecilene de Souza é supervisora administrativa e recursos humanos no Espaço Jacyra.