Como já vimos em posts anteriores aqui no blog, uma palestra é uma apresentação oral curta e objetiva que explana conteúdos diversos sobre um tema previamente escolhido. Porém, é muito comum encontrar palestrantes que tenham dificuldades em manter o engajamento no conteúdo da palestra.  

Ou seja, muitas pessoas podem enxergar palestras como atividades maçantes. Bem como atividades em que só uma pessoa fala e as outras tem de escutar, sem interagirem umas com as outras. 

Isso procede? 

Não! 

Ministrar uma palestra vai muito além do conhecimento sobre o assunto escolhido. Nesse sentido, um bom palestrante possui diversas qualidades específicas que o ajudam a disseminar suas ideias da melhor forma possível. 

Em outras palavras, para alcançar o sucesso em explanar conteúdo é necessário o engajamento do público. Por outro lado, manter este engajamento do início ao fim da atividade é o maior desafio do palestrante. 

Confira a seguir 3 dicas para manter o engajamento do público no conteúdo de uma palestra: 

1 – Movimente-se 

Ficar parado em uma posição de destaque nunca é a melhor opção. A plateia está em maior número, logo, sente-se confortável. Uma vez confortável, ela volta sua total atenção para quem está em destaque, o palestrante. Ou seja, ela tem tempo e foco para notar qualquer tipo de expressão corporal que o palestrante emita. Ficar parado e não se movimentar dá a entender nervosismo e o nervosismo leva à falta de credibilidade. 

Por mais à par do assunto que o palestrante esteja, se ele não demonstrar confiança e domínio em seu semblante e gestos, não vai convencer ao público. Logo, a atenção e o foco da plateia vão para outro lugar. 

Seja natural, ande pelo palco, movimente-se de acordo com o ritmo de suas palavras. Mexa os braços para pontuar frases, tornando-se assim mais interessante de assistir. 

2 – Storytelling 

Em português “contar histórias”, é uma ferramenta muito valiosa e possui diversas aplicações. Desde crianças aprendemos a prestar atenção em histórias, nem que seja o começo, é algo imputado em nossa mente. Nesse sentido, certifique-se que o início da história prenda a plateia, mantendo o engajamento do público no conteúdo da palestra. 

Ao contar uma história, foge-se daquele modelo monótono de trabalho e faz parecer que as pessoas estão em um ambiente mais acolhedor e íntimo. Além disso, a sequência cronológica dos fatos de uma história bem narrada “prende” o público até o final. 

Não se esqueça de treinar muito a história, para não esquecer fatos, se confundir na ordem de acontecimentos e criar dúvidas ao invés de trazer respostas. Nesse sentido, quanto mais simples a história, melhor. 

3 – Ferramentas de apresentação 

Fugir do modelo convencional de palestras, onde há uma pessoa no placo com uma apresentação monótona de powerpoint atrás, é sempre o melhor caminho. Estamos no século XXI, existem diversas tecnologias à disposição. Logo, basta pesquisar a que melhor se encaixa com a sua proposta e inovar. 

Intercalar momentos de fala com materiais audiovisuais é muito efetivo. Quebra a monotonia e prende a atenção das pessoas que agora será direcionada para outra plataforma de explanação de ideias. 

Nesse sentido, vale tudo! Vídeos, fotos, questionários interativos, uso das redes sociais, etc. 

O celular pode ser seu aliado 

O terror da maioria dos palestrantes durante a apresentação é o celular. Ainda mais no mundo de hoje em que as pessoas são extremamente ligadas. Separar-se dele parece impossível, mesmo que por um curto período de tempo. 

Porém, já pensou que o celular pode ser seu aliado? De qualquer jeito, as pessoas vão estar com ele nas mãos, ligados, apesar de todos os anúncios de “desligue seu celular”. Então, use-o! 

Pense em um aplicativo que caiba na apresentação. Peça para a plateia usar a câmera, de algum modo, ou até subir uma hashtag nas redes sociais. Coloque a plateia para usar o aparelho que estaria “proibido” em outras palestras. Mostre que o celular pode ser utilizado a favor do seu conteúdo e não contra. 

Bônus: Interaja com o público 

Um público engajado é o que participa. Sente-se parte atuante do conteúdo e não um ouvinte. Nesse sentido, é muito inteligente colocar a plateia para “trabalhar”. Questione, peça posicionamentos, converse, faça-os sentir confortáveis para participar. 

A ideia do celular na dica anterior é uma boa maneira de quebrar o gelo. Lembre-se: diversas pessoas diferentes estão reunidas ali por um motivo em comum. Ajudá-las a chegar ao seu objetivo da melhor maneira possível será benéfico para todos, tornando-o assim um palestrante de sucesso. 

Últimas Postagens

Sala formato U com mesa

10/01/2021 Ler mais

Eventos Corporativos: formato em células

07/01/2021 Ler mais

Principais características do formato sala auditório

26/12/2020 Ler mais

3 dicas para manter o engajamento no conteúdo da palestra

07/12/2020 Ler mais

Palestras inspiradoras no TED

04/12/2020 Ler mais

Insira seu melhor e-mail

Tags

Veja todos
Curiosidades
10/01/2021

Sala formato U com mesa

Seguindo a ideia do último post, vamos continuar a apresentar os diferentes formatos de sala para a leia em 4 min
Dicas
07/01/2021

Eventos Corporativos: formato em células

O formato de sala que se adequa ao seu evento é ideal para o sucesso do mesmo. Seguindo a série de leia em 4 min
Dicas
26/12/2020

Principais características do formato sala auditório

Existem diversos formatos e configurações de salas para a realização de eventos corporativos. Ca leia em 4 min
WhatsApp chat